PONTA PORÃ

Assassino de ator fez título de eleitor falso em Ponta Porã MS

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

Detalhes da fuga reforçam tese inicial de que crime foi premeditado; encontrado em MS, Cupertino segue foragido
Por Nyelder Rodrigues  CAMPO GRANDE NEWS


Paulo Cupertino está na lista dos mais procurados criminosos em São Paulo
Cinco dias após matar o ator Rafael Miguel e seus pais, Paulo Cupertino Matias conseguiu passar pela biometria e tirar em Ponta Porã – cidade localizada a 323 km de Campo Grande – um novo título de eleitor com o nome falso Manoel Machado da Silva, identidade que usou após fugir de São Paulo (SP), onde cometeu o triplo homicídio.

O crime aconteceu em 9 de junho de 2019 e, desde então, Paulo está foragido. Ele foi descoberto recentemente em um sítio localizado em Eldorado – município que fica a 447 km de Campo Grande. Contudo, ao saber que foi encontrado pela polícia, ele fugiu e até o momento não se sabe qual o seu paradeiro.

Durante às investigações, foi descoberto diversos documentos falsos retirados por Paulo em Mato Grosso do Sul, todos usando o nome falso Manoel Machado. Além do título, o foragido conseguiu uma certidão de nascimento falsa de Rio Brilhante, datada de 19 de janeiro de 2019 – ou seja, data anterior ao crime.

Leia Também:  Operação flagra 40 motoristas embriagados e aplica 106 multas em MS

A situação específica ao título de eleitor já está sob investigação da corregedoria-geral do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul). A apuração começou por iniciativa da própria Justiça Eleitoral, que fez o cruzamento de dados após divulgação do nome falso de Paulo na imprensa.

Possíveis disfarces de Cupertino, segundo a polícia paulista
“O primeiro título foi feito em 11/5/1990, com o nome de Paulo Cupertino Matias (com zona eleitoral de SP) e o segundo documento, requerido em 14/6/2019 em nome de Manoel Machado da Silva (com zona eleitoral de MS)”, explica o TSE em nota oficial.

Possíveis disfarces de Cupertino, segundo a polícia paulista
Ainda segundo o Tribunal, Cupertino só conseguiu passar pelo processo de biometria sem ser descoberto pois seu título original apresentava diferença de dados e não tinha ainda passado pelo cadastro biométrico, facilitando a falsificação. Os demais detalhes ainda estão sob investigação do TRE e TSE.

Sob inscrição 028796071910, o título de eleitor falsificado de Cupertino ainda consta como ativo, estando ele apto, inclusive, a votar no próximo dia 15. Cadastrado na 19ª zona eleitoral e seção 0299, o seu local de votação era a Escola Estadual Joaquim Murtinho, que fica na rua General Osório, 321, em Ponta Porã.

Leia Também:  Márcio Blanco deseja um feliz natal e próspero ano novo a todos de Ponta Porã e região

Para fazer o título de eleitor, é necessário comparecer ao cartório eleitoral da cidade com documentos pessoais e comprovante de residência, além de passar pelo processo de biometria – o que deixa claro que Paulo Cupertino foi até Ponta Porã logo depois do triplo assassinato, reforçando a tese inicial de premeditação.

 

 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS