PONTA PORÃ

Prefeitura realiza reunião para tratar dos imigrantes venezuelanos nas ruas de Ponta Porã

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

A Prefeitura Municipal de Ponta Porã, através da Secretaria Municipal de Assistência Social realizou uma reunião na manhã desta quarta-feira, 01/09, para tratar de assunto que tem causado preocupação nas autoridades municipais: os imigrantes venezuelanos nas ruas de Ponta Porã.

É muito comum perceber pessoas que fugiram da grave crise social que atravessa a Venezuela, para imigrar para Ponta Porã. A razão, é que até março deste ano, era possível regularizar a entrada no Brasil apenas por aqui e por Foz do Iguaçu. Após a regularização, os imigrantes têm acesso ao mercado de trabalho e acolhimento, por exemplo.

Para a Secretária Municipal de Assistência Social, Vera Lúcia Oliveira, a questão não é só abordar. “Existe todo um cenário, que pode sugerir a presença e atuação de “coyotes” e exploradores na fronteira. Precisamos envolver todas as autoridades para formar um grupo de trabalho onde cada ator participe dentro da sua competência. É preciso acolher, orientar e encaminhar essas pessoas”, destacou.

O Comandante do 4.º Batalhão de Polícia Militar, Ozevaldo Santos de Melo, propôs, além da criação do grupo de trabalho, o mapeamento e identificação através de serviços de inteligência, dos imigrantes, para conhecimento e compartilhamento entre as autoridades, dos dados que poderão ser levantados.

Marcial Benitez Troche – responsável pelo setor de Imigração Polícia Federal, colocou-se a disposição para colaborar no sentido de regularizar a entrada dos imigrantes e fazer os encaminhamentos pertinentes aos CRAS de Ponta Porã.

Hugo Lopes Garay, representante do Consulado Paraguay em Ponta Porã afirmou ser interessante abordar um tema tão sensível como esse e comprometeu-se a trazer as Autoridades competentes paraguaias nas próximas reuniões.

A representante do Ministério Público, Andrea Resende, responsável pela Vara da Infância e Juventude, comprometeu-se em instaurar um Procedimento Administrativo, para acompanhar os trabalhos do grupo e contribuir com a validação dos  procedimentos a serem implementados.

Ao final da reunião, foi elaborada uma ata, que documenta tudo que foi abordado, cria o grupo de trabalho e planeja mais reuniões, onde cada participante ficou com a missão de trazer sugestões dentro da sua área de atuação para enfrentar esse grave problema social.

Participaram da reunião: Andrea de S. Resende – Ministério Público ; Erotilde R. De Arruda – Coordenadora Cras Marambaia ; Cléa Morato – Coordenadora CREAS; Kaled Issa – Tenente Corpo de Bombeiros Militar de Ponta Porã; Mayara Alvino – Coordenadora Proteção Social Especial; Kelly Guerreiro – Coordenadora Proteção Social Básica; Andréia do Amaral – Coordenadora do Centro Pop; Ozevaldo Santos de Melo – Comandante Polícia Militar Ponta Porã/MS; Marilene Escobar de Souza – Conselheira Tutelar; Gustavo Teixeira Chadid – Consulado do Brasil; Luís César A. Silva – Coordenador Cras Salgado Filho; Antônia Caballero – Consulada do Paraguay; Hugo Lopes- Consulado Paraguayo, Marcial Benitez Troche – Imigração Polícia Federal além da Secretária de Assistência Social Vera Lúcia Oliveira.

* Texto e fotos: Assessoria de Comunicação

 

Leia Também:  Não temos desabrigados, mas tempestade afetou dezenas de casas na periferia

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS