PONTA PORÃ

Pastor aliado de Lula já foi preso com arma, munições e droga

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

 

 

Paulo Marcelo Schallenberger foi detido em 2014 na cidade paranaense de Foz do Iguaçu

 

Pastor Paulo Marcelo ao lado do ex-presidente Lula Foto: Divulgação/Pr. Paulo Marcelo /Instituto Lula/ PT

Nome que apareceu nas últimas semanas como sendo o mais novo aliado evangélico do ex-presidente Lula (PT), o pastor Paulo Marcelo Schallenberger, de 46 anos, já foi preso em julho de 2014, em Foz do Iguaçu, no Paraná, com uma arma de fogo, munições e uma substância que seria cocaína.

A prisão aconteceu no dia 16 de julho de 2014, quando, em cumprimento a um mandado de busca e apreensão, policiais civis se dirigiram até a residência do pastor e, em buscas dentro da casa, encontraram uma pistola calibre 380 com dois carregadores e 45 cartuchos intactos, além de um pequeno pacote com uma substância que, segundo a polícia, era “análoga à cocaína”.

Por conta da ocorrência, os policiais deram voz de prisão ao pastor pelo crime de posse irregular de arma de fogo de uso permitido. Após a detenção, Schallenberger pagou fiança e foi liberado.

O cumprimento do mandado havia sido motivado por uma denúncia feita em uma delegacia de Foz do Iguaçu, no dia 7 de julho de 2014, em que um homem narrava que Paulo o teria ameaçado de morte.

Segundo relatos do boletim de ocorrência feito pelo homem, ele teria ido até a residência do pastor para cobrar uma dívida e teria sido ameaçado por Schallenberger com um revólver.

ALIANÇA COM LULA E APOIO AO PETISTA
Apoiador do ex-presidente Lula, Schallenberger atuará na campanha presidencial do petista. Em março, ele será um dos convidados do podcast do PT voltado para o público evangélico, algo que, no cenário atual, não parece combinar muito. Entretanto, em uma entrevista concedida ao jornal O Globo, o pastor chegou a dizer que não existiria antagonismo entre a esquerda e os evangélicos.

IGREJAS NEGAM LIGAÇÃO COM PAULO MARCELO
Apesar de, na mesma entrevista publicada pelo jornal O Globo, Paulo Marcelo aparecer como “ligado à Assembleia de Deus”, a Assembleia de Deus de São Paulo Ministério do Belém publicou um comunicado oficial nas redes sociais informando que o pastor Paulo Marcelo Schallenberger não é membro da igreja, tampouco da Convenção das Assembleias de Deus.

No comunicado, a Assembleia de Deus Ministério do Belém enfatizou que Paulo Marcelo Schallenberger não representava a instituição e não possuía procuração para falar em nome da mesma. A nota foi assinada pelo pastor José Wellington Costa Junior, vice-presidente das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB).

 

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS