PONTA PORÃ

Com maiores taxas de dengue e zika de MS, Chapadão diz que notificações são reflexo de ‘busca ativa’

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

 

 

 

Com pouco mais de 26 mil habitantes, Chapadão do Sul, cidade localizada no norte do Estado, tem chamado a atenção por ocupar as primeiras posições de rankings estaduais e até nacionais de municípios com mais  de doenças causadas pelo  Aedes aegypti.

No mês de maio, Chapadão chegou a ser a cidade do Brasil com maior incidência de zika vírus. Com 236 casos notificados, o município representava 71% de todas notificações do Estado. A taxa de incidência, a média entre quantidade de casos a cada 100 mil habitantes, chegou a 890,6 na terceira semana de maio.

No levantamento estadual sobre casos notificados de dengue, divulgado nesta quarta-feira (1º) pelo Estado, Chapadão também liderou ranking. Com taxa de 3.553,1, a incidência de dengue na cidade é a maior em relação a casos confirmados da doença. Do início do ano até agora, uma pessoa morreu vítima da dengue na cidade.

Busca ativa explica altos números de dengue e zika, justifica secretária

Em entrevista ao Jornal Midiamax, a secretária de Saúde de Chapadão do Sul, Valéria Lopes dos Santos, afirma que os altos índices de notificações das arboviroses, doenças transmitidas por mosquitos, são reflexo de trabalho desenvolvido na cidade que estimula a notificação de casos.

Leia Também:  Sancionada lei que devolve PIS/Cofins cobrado na conta de luz

Segundo a gestora, em casos de levantamentos como da zika vírus, a notificação diz respeito a casos suspeitos e não necessariamente confirmados e que depois de resultados de exames podem vir a ser descartados.

“Falamos sempre que quem procura acha, então quanto mais o município faz um trabalho de busca ativa para notificação de casos, mais notificações ele irá ter. Aqui nós temos equipe que colabora, médico, laboratórios, agentes, todos são orientados a notificar os casos suspeitos”, afirma.

No boletim estadual da dengue, no entanto, a cidade lidera o ranking de casos confirmados, aqueles com resultados de exames laboratoriais que confirmam a doença.

Valéria explica que na manhã desta quinta-feira (2) se reuniu com equipe da secretaria para que ações com objetivo de reduzir focos do mosquito da dengue sejam reforçadas. “Estamos fazendo bloqueio químico (fumacê) em toda cidade e e já percebemos que houve uma redução de focos, o que deve aparecer nos próximos levantamentos de notificações”.

Assim como ocorre em todo o Estado, a maioria dos focos do mosquito em Chapadão está nas casas dos . Por isso, a conscientização dos moradores é importante para redução de casos das doenças.

Leia Também:  Em dia histórico, Câmara aprova Plano de Cargos e Carreiras dos servidores

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS