PONTA PORÃ

Mato Grosso do Sul tem 31,1 mil pessoas na fila de espera para receber o Auxílio Brasil

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

 

 

 

Procura pelo programa subiu este ano por causa da demanda reprimida
Estudo revela demanda reprimida no Auxílio Brasil. Foto: Agência Brasil

Estudo elaborado pela (CNM) Confederação Nacional de Municípios mostra que a procura das famílias pelo PAB – Programa Auxílio Brasil – praticamente duplicou este ano, precisamente na comparação entre janeiro e fevereiro. Apesar da elevação da demanda em todos os Estados, Mato Grosso do Sul é o Estado de menor procura na região Centro-Oeste com 31.183 novos pedidos em fevereiro. Em janeiro, o número ficou em 15.532 e em novembro de 2021 chegou a 89.961.

No Estado de Mato Grosso, 103.135 pessoas foram em busca do Auxílio Brasil em feverer5io deste ano, em janeiro foram 18.373 e em novembro, do ano passado, 40.766. Em Goiás foram 170.418 em fevereiro, 23.472 em janeiro e 59.975 em novembro do ano passado. De acordo com o estudo da CNM, dois fatores proporcionaram este aumento na procura pelo benefício: a demanda reprimida, na qual o estudo comprovou; e o aumento do número de pobres e miseráveis ano passado, que saltou de 30 para 36 milhões, segundo pesquisa do IBGE. A CNM não teve acesso à nova pesquisa do IBGE, que só foi publicada após seu estudo.

Leia Também:  Mãe flagra menina de 9 anos em banheiro com professor de música que acaba preso por estupro

Informações da CNM destacam que a execução orçamentária total do ano de 2021 não foi suficiente para garantir a proteção social às mais de 3 milhões de famílias, sendo definida como demanda reprimida do programa, correspondendo a mais de 6 milhões de pessoas. Já em 2022, após as alterações do programa, o orçamento autorizado aumentou mais de 5 vezes o valor em relação ao autorizado no ano de 2021

 gastou em média, nos três primeiros meses do ano, o total de R$ 7,4 bilhões/mês para arcar com o programa, e até o momento foram beneficiadas 18,46 milhões de famílias. Porém, não é suficiente para zerar a demanda reprimida, pois de acordo com os dados há ainda, no CadÚnico (Cadastro Único), mais de 434 mil famílias com perfil para o Auxílio Brasil à espera do benefício.

Este ano, o governo deve gastar o total de R$ 92 bilhões, e como há uma  orçamentária de R$ 89,8 bilhões, resultando em um déficit orçamentário de mais de R$ 2,1 bilhões, haverá necessidade de o governo fazer uma nova alteração na lei orçamentária no decorrer do ano para poder ajustar o orçamento ao valor necessário para arcar com todos os benefícios.

Leia Também:  Paulo Cupertino denuncia policiais por vazamento de imagens de prisão

Quem tem direito?

Para se candidatar ao Programa, é necessário que a família esteja inscrita no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal e tenha atualizado seus dados cadastrais nos últimos 2 anos.
Podem participar do Programa as famílias em situação de pobreza ou extrema pobreza que tenham, em sua composição, gestantes, nutrizes (mães que amamentam), crianças, adolescentes e jovens entre 0 e 21 anos incompletos.

As famílias extremamente pobres são aquelas que têm renda familiar per capita mensal igual ou inferior a R$ 105,00 (cento e cinco reais). As famílias pobres são aquelas que têm renda familiar per capita de R$ 100,01 (cem reais e um centavo) a R$ 200,00 (duzentos reais).

Como saber se vou receber o Auxílio Brasil?

  • Para saber se vai receber o Auxílio Brasil, o primeiro passo é baixar o aplicativo “Auxílio Brasil” (disponível em lojas de aplicativos para celular tanto para ‘iOS’ quanto para ‘Android’).
  • Depois, abra o aplicativo e clique em ‘procurar’ na tela inicial.
  • Em seguida, digite o número do seu CPF, senha e clique em ‘verificar elegibilidade’.

COMPARTILHE

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on linkedin

RELACIONADAS